Tradição
  Denominação de origem
 

Organización Breve história
A cabra Palmera
Receitas de cozinha

Organización Regulamentos e estatutos
Organograma
Requisitos de renda

O queijo palmero: um queijo centenário.

A história do queijo palmeiro começa a escrever-se com a introdução das cabras pré-hispânicas pelos primeiros povoadores da ilha. No entanto, desde a junção da ilha de La Palma à Coroa de Castela no ano 1493, há registo escrito da importância que desde então tem tido na indústria queijeira.

A cabra palmera: uma raça com carácter.

Diversos estudos genéticos situam a origem da cabra de raça palmera nos animais pré-hispânicos. Contudo, a situação estratégica da ilha relativamente às rotas oceânicas em direção à América leva a crer numa possível influência das raças do sudoeste da Península Ibérica. Até mediados da década de 80, considerava-se erradamente, que as três raças canárias (majorera, tenerifenha e palmera) eram, na verdade, uma só. Trata-se de um animal perfeitamente adaptado às condições climáticas e orográficas da ilha. Em qualquer caso, podemos falar de exemplares rústicos e resistentes.

Não podemos concluir esta revisão sem assinalar a extraordinária qualidade do seu leite. Da sua composição química destacamos os seus elevados níveis de alfa-caseína, uma proteína láctea de grande importância na elaboração do queijo. É, portanto, uma raça que oferece um grande rendimento queijeiro, com a qual se elabora um produto de alta qualidade.

O queijo palmero é um produto de qualidade que tem sido elaborado durante gerações de forma artesanal. Queijo Palmero há apenas um, mas imitadores há muitos. Para ter a certeza daquilo que compra, procure em primeiro lugar as etiquetas que garantem a sua autenticidade.

A etiqueta do elaborador indica a marca responsável do fabrico da peça, assim como o registo sanitário e a sua direção de contacto. Através dela, também poderá identificar se se trata de um queijo terno (entre 8 a 20 dias de maturação), semi-curado (entre 21 e 60 dias) ou curado (mais de 60 dias).

A etiqueta do Conselho Regulador, de menor tamanho, certifica que o queijo se ajusta aos parâmetros de qualidade da Denominação de Origem do Queijo Palmero. O número de identificação que incluí é único para cada peça.

Finalmente, deve ter-se em conta que os queijos frescos (com menos de 8 dias de maturação) não se etiquetam, o que se justifica pela escassa margem de tempo entre a sua produção e a comercialização.

Marcas registradas

Mercados

Veja o vídeo no canal do YouTube


Sitio web desarrollado por:
ADER-La Palma
Cofinanciado por:
Financian